quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Na minha casa TV não vai ter moral!

Há uns bons anos eu venho observando como a sociedade moderna tem ficado escrava da televisão.
Nela existem coisas boas, e coisas asquerosas: novelas, programas de entretenimento do mais baixo calão, futilidades; má utilização de uma mídia tão poderosa!
Eu, como Comunicadora em formação, na teoria, deveria ver televisão constantemente, para ficar "por dentro" do que acontece no mundo televisivo, publicidade, notícias, o que andam falando por aí. Até concordo.
Mas quando olho o quanto um simples aparelho pode causar numa família, prefiro optar por um livro, um filme ou a internet mesmo, como meio de entretenimento e informação.
Pais deixam de conversar entre si e com os filhos para ficar babando em frente a um programa qualquer, deixando de crescer vínculos, discutir coisas importante e esquecendo de conhecer quem mora sob o mesmo teto.
Crianças crescem "criadas" pela televisão: falam, agem, comem, brincam, vestem, aprendem, vivem como vêem nos programas infantis e desenhos animados (ou, muito provavelmente, pelas novelas!). Os pais preferem deixar as crianças lá mesmo, paradas em frente à tela, enquanto vivem suas vidas "ocupadas e cansadas demais" para dedicar algum tempo brincando e conversando com o filho. Quando menos esperam, as crianças crescem e os únicos valores que aprenderam foram os incertos que foram passados pela tela.
As novelas apresentam valores distorcidos e tramas repetitivas à quem assiste, enquanto se apresenta como uma alternativa interessante para quem já passou o dia trabalhando e quer "descansar a mente". Logo, todos estão agindo como viram na novela, criam modas e tendências baseados no que assistiram, compram cds/roupas/brincos/sapatos por que perceberam que a mocinha da novela usava também; moda essa que perde o sentido assim que a novela acaba.
Os noticiários (principalmente os globais) se mantêm altamente imparciais e com tendências manipulativas, obscurecendo o que lhes convém. Não me farão falta, tendo em vista que terei acesso à internet, fonte inesgotável de notícias sob o olhar de pessoas diferentes, ou seja, diferentes pontos de vistas.

Eu sinceramente penso em nem ter uma TV, já que eu e meu futuro marido vamos assisti-la muito pouco, então me pergunto se vale a pena gastar uma grana nisso... E ainda bem que Rafa concorda comigo!
Caso decidamos realmente obter uma, será bem depois, depois que tivermos todos os itens de primeira, segunda e terceira necessidade. Ou seja, será a última coisa que queremos que entre no nosso lar.

Para mim, SE eu tiver uma televisão em casa, ela vai viver desligada DA TOMADA e virada pra parede e será ligada apenas em caso de grande emergência (ou quando eu quiser assistir um filminho numa tela maior).

Conclusão:
Muito obrigada, mas na minha casa TV não vai ter moral!

4 comentários:

Tia jaq disse...

Não precisa ser tão radical. Basta selecionar o que vai assistir e limitar os momentos. Nem todo conteúdo deve ser jogado no lixo. Sempre há programação alternativa. Basta procurar...

Gabriela Olem disse...

Difícil na TV aberta ter programas que realmente valham a pena... Prefiro buscar assisti-los pela internet, caso me interesse. Seria um gasto provavelmente desnecessário comprar um TV e quase nunca assistir...

Naaau.... disse...

Exatamente o que eu e o Diogo pensamos, hahahaa. Prefiro mil vezes gastar meu tempo e dinheiro cuidando pra que meus filhos tenham mil oportunidades de brincadeira (que envolva aparelhos eletrônicos em último caso) e, de preferência comigo e com o pai deles, do que deixá-los no sofá na frente da tv o dia inteiro. Numa situação que eu nem sei o que eles estão vendo e nem posso controlar o nível de influência que isso terá na vida deles. Quero que eles tenham tanta oportunidade de brincadeiras, que nem lembrem que tv existe. Que eles possam correr, se sujar, e tenham uma infância feliz. Tv não é necessário, eu já me libertei dela faz anos. E não quero que, na minha casa, ela quem diga quais são as regras. Como eu devo tratar meus filhos e como eles devem me tratar, o que devemos comer, como devemos viver, o que devemos comprar. Concordo que é muito desnecessário gastar 3 mil em algo que vc quase nunca irá ligar. kkk

Gabriela Olem disse...

Parabéns Nau!
Curti muito o que você falou ;)
Estamos juntas nessa \o