sexta-feira, 15 de maio de 2009

A escola, os alunos e um futuro não tão brilhante.



Sala de 3º ano do Ensino Médio de uma escola particular. Um professor de química pede demissão em plena sexta-feira, na metade de maio. A causa: os alunos. Parece meio ridículo, mas não: é 'inteiro' ridículo. Não se sabe como chegou a esse ponto, mas os alunos agora desprezam o trabalho do professor. O professor virou só mais um empregado, o qual depende inteiramente do pagamento da mensalidade do aluno, e por isso, tem que se submeter às vontades do aluno. Virou um picadeiro. O professor é ao mesmo tempo o domador de leões e o palhaço, enquanto os leõezinhos se divertem as custas do pobre palhaço-domador.
Sobra ao professor escolher entre a humilhação, a ignorância ou a demissão. É simplesmente inaceitável ter que aceitar que só há essas opções, mas, de alguma maneira, só há elas mesmo. O que os alunos estão fazendo é comparável a um cara que faz uma feira num supermercado, paga caríssimo por aquilo, e de repente sai correndo sem levar a feira e logo atrás dele sai correndo o gerente: "Senhor! Sua feira, suas compras! O senhor pagou por elas! Tome!". Que cliente faria isso? Nenhum consciente, certamente. Porém, existe um tipo de cliente que faz isso constantemente: alunos de escolas particulares. Enquanto os pais suam a camisa pra garantir mais uma mensalidade paga, eles usam as fardas para gazear mais uma aula, levar mais uma suspensão, conversar sobre a novela na aula de matemática. E está "tudo normal", está tudo bem.
Ver que pessoas que não estão nem aí para a educação me faz sentir medo do que o futuro meu e de minhas futuras gerações será. Mas me acalmo quando vejo que ainda existem pessoas que se importam com isso, que vêem na educação uma maneira de mudar o mundo. Isso conforta, porém não muda o fato de que a juventude está perdida. Estamos vivendo ainda a onda 'hippie' de libertinagem (que não é a mesma coisa que liberdade), e a tendencia é que as coisas só piorem, e esses comportamentos ruins sejam ainda mais normais.

"Senhoras e senhores, aproximem-se! O picadeiro está montado e leão não quer ser domado!"

3 comentários:

Anônimo disse...

Esses alunos tem a idéia errônea de que nada poderá acontecer de ruim, pois os pais estão ali para pagar sua falta de vontade e de educação. Mal sabem eles que o professor, embora triste volta para casa e recebe seu salário, e eles até quando serão bancados pelos papais?

Muito triste o fim desta história, são mais pessoas mal formadas jogadas a prórpia sorte no mercado de trabalho.

Afinal a escolha foi feita.

Agora minha idignação maior é que a lei protege cada vez mais os alunos nas escolas e os professores ficam de mãos atadas sem poder nem reclamar. Caso contrário serão processados pelos pais, que mais uma vez acham bonitinho o filho ser mal educado.

Só lamento

Atradis Arres disse...

Eu acho é maravilhoso, sobra mais espaço no mercado de trabalho futuramente:)

Luiz Gustavo disse...

Sorte para que se interessa em estudar, azar para quem fica nessa vida mediocre de não ligar para nada e viver as custas do papai